BMS Brasil comemora um ano do grupo de inclusão LGBTQI+

29/07/19

No mês de julho, a BMS celebrou o primeiro aniversário do grupo de diversidade e inclusão (D&I) LGBTA (Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender and Allies), que tem como objetivo defender políticas e promover uma cultura de inclusão e conscientização LGBTQI+ para os funcionários e comunidades da BMS. O grupo faz parte das ações dos PBRGs (People & Business Resource Groups), formados por funcionários voluntários que discutem e propõem ações de D&I para fomentar a igualdade de idade, raça, cultura, gênero, identidade, e que transformam a BMS em um ambiente com diferentes estilos e experiências de vida. 

A BMS foi indicada pelo Great Place to Work (GPTW) como uma das 10 empresas no Brasil que mais se destacou no tema Orgulho LGBTQI+. O ranking foi definido com base na análise das práticas de cada empresa e na avaliação dos funcionários na pesquisa GPTW. O reconhecimento reflete os esforços da BMS Brasil em promover um ambiente diverso e inclusivo para os colaboradores brasileiros por meio das ações desenvolvidas pelo grupo ao longo do ano.

Para celebrar um ano de existência da iniciativa foi realizado um evento educativo, com palestras ministradas por alguns representantes e convidados do PBRG LGBTA, incluindo o convidado externo advogado e pesquisador, Lucas Bulgarelli. Foram discutidas as nomenclaturas que compõe a sigla LGBTQI+, conceitos como identidade de gênero, orientação afetiva-sexual, sexo biológico e expressão de gênero, a decisão do STF de criminalizar a homofobia/transfobia - segundo o relatório "Homofobia Patrocinada pelo Estado", elaborado pela Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais (Ilga), o Brasil foi o 43º país no mundo a adotar a medida – e dados de uma pesquisa interna de avaliação do ambiente BMS em relação a diversidade de gênero e orientação sexual. 

Integrantes e convidados do grupo LGBTA ao lado do presidente e gerente geral, Gaetano Crupi

Integrantes e convidados do grupo LGBTA ao lado do presidente e gerente geral, Gaetano Crupi

Um grande avanço percebido na pesquisa foi com relação ao sentimento de aceitação dentro da BMS. Em 2018, 31% dos funcionários que se declaram não heterossexuais afirmaram que não manifestavam a orientação sexual no ambiente de trabalho por medo da discriminação, enquanto em 2019 esse número caiu para 9%. Para Janaina Lima, Especialista de Comunicações Médicas e Líder do PBRG LGBTA Brasil, os resultados positivos estão diretamente ligados com a criação deste grupo, que deixou mais transparente o diálogo sobre o tema, conscientizando e tornando o ambiente mais leve.

O palestrante convidado, Lucas Bulgarelli, observa que a BMS passou pelo primeiro momento de transformação com a criação do grupo LGBTA, que apresentou o tema aos colaboradores e serviu para que as pessoas se sentissem acolhidas, e agora inicia o segundo passo, ampliando a diversidade de gênero e orientação sexual e consolidando as ações voltadas a este fim.

Por fim, Gaetano Crupi, Presidente da BMS Brasil, encerrou o evento com uma mensagem importante: “Pessoas que não estão sendo 100% autênticas não podem dar o seu melhor.”

Saiba mais sobre os People & Business Resource Groups (PBRGs) da BMS Brasil