Dia do Médico

Em 18 de outubro é comemorado o Dia do Médico. Conheça a carreira dos médicos da BMS Brasil e como eles atuam em benefício dos pacientes.

16/10/18

Dra. Angelica Dimantas – Diretora Médica

Dra. Angelica Dimantas – Diretora Médica

“Graduei-me em medicina pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP). Quinze anos incríveis no assistencialismo me ensinaram a desenvolver um profundo respeito pelo paciente. A indústria farmacêutica foi uma descoberta profissional inesperada, pois pude alinhar os interesses por fazer mais pelo paciente à projetos envolvendo profissionais de várias áreas, que me trouxeram um grande aprendizado. A dedicação, a ética e o comprometimento dos profissionais da saúde na indústria farmacêutica nos mantém centrados no cuidado com o paciente, tanto quanto os colegas médicos que atuam na "linha de frente". Nosso trabalho na indústria é muito gratificante pois lutamos para que medicamentos inovadores, seguros e eficazes sejam disponíveis para médicos e pacientes brasileiros, assim como acontece nos EUA e Europa.”


Dr. Roger Miyake – Diretor de Acesso

Dr. Roger Miyake – Diretor de Acesso

“Sempre sonhei com a formação de médico. Esse desejo começou muito cedo, quando eu tinha apenas oito anos de idade. É claro que até o momento de enfrentar o vestibular tive outras aspirações profissionais. Mas o desafio de passar no curso de medicina, na época o mais concorrido, foi um aspecto importante que me levou a decidir por esta carreira. Depois de formado, meu primeiro trabalho foi no Estado de Rondônia, onde atuei como médico do exército. O contato com a indústria farmacêutica se deu por meio de um colega que já trabalhava na área. Ele me indicou para uma vaga de gerente médico, pois acreditava que eu tinha o perfil adequado. Desde então ocupei diferentes cargos que contribuíram não só para meu desenvolvimento profissional, mas para enxergar as diversas possibilidades de se trabalhar em benefício dos pacientes. Toda minha experiência, sem dúvida, faz de mim um médico melhor! Hoje, como diretor de acesso ao mercado, eu ajudo a BMS a concretizar sua missão de descobrir, desenvolver e, principalmente, disponibilizar medicamentos que fazem a diferença na vida dos pacientes. ” 


Dra. Deise Almeida - DAS (Disease Area Specialist)

Dra. Deise Almeida - DAS (Disease Area Specialist)

“Sou formada pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e me especializei em Hematologia pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA). Escolhi a medicina como formação pela possibilidade de exercer profissionalmente o cuidar do outro. Minha primeira experiência profissional foi no Centro de Geriatria nas Obras Assistenciais Irmã Dulce. No decorrer da minha carreira me encantei com os avanços da imunoterapia no tratamento do câncer e me interessei muito pela possibilidade de trabalhar com isso. Acredito que o médico tem um importante papel dentro da indústria sendo o responsável por sempre trazer o olhar de como os dados científicos publicados ou cada ação realizada pela empresa beneficiará os pacientes. Afinal, aqui na indústria eu continuo trabalhando buscando a melhor maneira de cuidar das pessoas que precisam de cuidados médicos”.


Dra. Guareide Carelli - DAS (Disease Area Specialist)

Dra. Guareide Carelli - DAS (Disease Area Specialist)

“O desejo por fazer medicina começou desde muito cedo. Quanto mais o tempo passa, mais eu descubro como essa área é rica e pode abrir portas. Durante a residência médica tive meu primeiro contato com pacientes com câncer. Me lembro do primeiro diagnóstico de câncer que eu dei na vida para um garoto de 16 anos. Foi muito difícil transmitir essa informação. Me lembro que falei que ele tinha uma doença maligna, mas que havia grandes chances de ficar curado. A oportunidade de trabalhar na indústria farmacêutica surgiu quando mudei para São Paulo e um amigo me avisou sobre uma vaga de gerente médico. Na época eu não tinha noção de como esse profissional atuava e das enormes possibilidades dessa carreira. Hoje, depois de quase cinco anos na indústria, me sinto realizada e desafiada todos os dias. O trabalho do médico nesse setor é realizado em conjunto com muitas áreas, o que traz uma sensação de garantia de qualidade. Uma das coisas que mais gosto é participar dos projetos de educação médica continuada, pois ele contribui para que o paciente seja bem tratado. Por meio do treinamento da nossa força de vendas também ajudamos que a mensagem chegue no lugar certo e de forma cada vez mais clara. Na indústria farmacêutica você passa a deixar de cuidar do paciente que está na sua frente, mas o seu alcance é muito maior!”


Dra. Nathalie Alves - MSL (Medical Science Liaison)

Dra. Nathalie Alves - MSL (Medical Science Liaison)

“Sou formada em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e me especializei em reumatologia. Minha escolha pela medicina teve grande influência do meu pai que é médico. Além disso, sempre tive uma paixão por pessoas, o que me motivou a tentar aliviar a dor do paciente. Minha primeira experiência profissional como médica foi em plantões de emergência de hospitais públicos e privados. Quando eu já atuava em consultório, passei a receber visitas dos consultores da indústria farmacêutica. Em uma dessas visitas uma consultora me informou sobre a vaga de Medical Science Liaison (MSL) da BMS Brasil e disse que eu tinha aquele perfil. Logo, ingressei na BMS como MSL, e hoje, um ano e meio depois, atuo como Disease Area Specialist (DAS) em imunologia. Aprendi que o médico pode atuar em diversas áreas da indústria, pois existem muitas possibilidades de trabalho que são desconhecidas, como gerente medico, pesquisa básica e avançada, MSL, acesso e DAS. Hoje, na minha equipe, trabalhamos no esclarecimento cientifico que elaboramos e levamos aos nossos parceiros, oferecendo novos conhecimentos e dados relevantes sobre medicamentos que podem auxilia-lo em novas possibilidades de tratamento de seus pacientes”.


Dra. Cristiane Sedlmayer - DAS (Disease Area Specialist)

Dra. Cristiane Sedlmayer - DAS (Disease Area Specialist)

“Desde pequena fui muito curiosa. Fazer medicina foi uma grande realização, pois além de me permitir cuidar e acolher o próximo, pude compreender melhor a vida e a mim mesma. Meu primeiro trabalho na área foi em um pronto socorro infantil, em São Paulo. Quando eu ainda era residente na oncologia pediátrica, assisti a aula de um palestrante internacional sobre a descoberta de uma molécula alvo inovadora. Sempre buscando respostas, logo pensei: por que não podemos fazer o mesmo para a oncologia infantil? A partir desta curiosidade, do meu interesse por inovação e desafios que poderiam mudar o paradigma do tratamento oncológico, trilhei o caminho rumo à indústria farmacêutica. Fui a primeira Medical Science Liaison (MSL) de oncologia em uma grande empresa, atuando como gerente médica com moléculas em diferentes áreas. Meu desejo por me manter conectada com o futuro me levou à BMS, onde a inovação por meio da imunoterapia já é uma realidade. Acredito que o médico tem um papel fundamental ao construir a ponte entre a inovação cientifica e a prática clínica na indústria farmacêutica. A oportunidade de trabalhar em uma empresa como a BMS, que tem como pilares a paixão, velocidade, inovação e responsabilidade, me fez resgatar o porquê tudo começou. Minha escolha pela medicina, lá atrás, segue comigo até hoje e saber que posso contribuir para que muitos continuem cuidando, acolhendo e melhorando a qualidade de vida desses pacientes faz toda a diferença!”